Covid-19: Estudo da UFOB foi essencial para orientar ações sanitárias que possibilitaram ao município manter casos de Coronavírus abaixo da linha de projeção.

Priorizar o cuidado com a vida tem sido a maior preocupação da Prefeitura de Barreiras desde que a pandemia do novo coronavírus se instalou no Brasil. Com a notificação do primeiro caso, localmente, em 26 de março passado, o Município também manteve um olhar cuidadoso sobre a economia. Barreiras sanitárias nas estradas que dão acesso à cidade, distribuição de máscaras, readequação de atividades econômicas, parceria para estruturação do Laboratório de Agentes Infecciosos e Vetores (LAIVE) no campus Reitor Edgard Santos da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB) e viabilização de centros médicos foram algumas das medidas adotadas pelo poder público para conter a disseminação da doença. Três meses depois, os resultados dos esforços empreendidos na luta contra o coronavírus em Barreiras, são considerados positivos, tomando por base um estudo divulgado pela Universidade Federal do Oeste (UFOB).
Fonte: http://portalcovid19.uefs.br | https://www.ufob.edu.br
O estudo coordenado pela Profa. MSc Daiane Rosa Gomes, Doutoranda em Saúde Coletiva e Professora de Epidemiologia e Bioestatística da UFOB,  foi elaborado pelo Grupo de Trabalho da Covid-19 da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB) e da Universidade Estadual do Estado da Bahia (UNEB) com dados disponíveis na página http://portalcovid19.uefs.br/, fruto da cooperação entre a Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Além de Mapbiomas, Geodatin e Solven como parceiros tecnológicos.
Apresentado em vídeo pelo professor da UFOB e doutor em saúde pública, Ítalo Aleluia, o estudo projetou dois cenários de curvas de contaminação da população de Barreiras: com distanciamento social, quando as pessoas entendem a necessidade de ficar em casa; e sem distanciamento social, quando as pessoas continuam circulando e contribuindo para a propagação do vírus. No primeiro caso dentro da projeção prevista, em 30 de junho chegaríamos a 750 casos confirmados. Já sem cumprir as medidas de distanciamento social, na mesma data, estaríamos com 4.054 casos confirmados da doença. Porém, a realidade de Barreiras hoje 30 de junho, é de 332 casos da Covid-19. Ou seja, menos de 50% de casos no melhor cenário da projeção, o município registra ainda outro fator importante que é a recuperação de mais de 70% dos casos da Covid-19.
Os números, que merecem toda a atenção das autoridades sanitárias do município, revelam também que Barreiras tem conseguido conciliar as medidas de prevenção e enfrentamento à Covid-19, com a manutenção das atividades econômicas, uma vez que o comércio segue aberto no município, o que é vital para que a economia atravesse o período da pandemia preservando os empregos que também são fundamentais para sobrevivência das famílias. Para isso a Prefeitura tem mantido estreito diálogo com os seguimentos empresariais e de produção, fortalecendo as parcerias e ouvindo a sociedade na tomada de decisões, especialmente através do Comitê Interinstitucional.
“Estas projeções são previsões baseadas em cálculos estatísticos mas elas não são verdades absolutas, isso significa que a ocorrência de casos na cidade até o dia 30 pode se apresentar com número superior ao que projetamos ou com número inferior. Isso depende muito da dinâmica epidemiológica da Covid e principalmente, da forma como a população vai se comportar e se o poder público vai implementar as medidas de supressão de novos casos”, explica o professor Ítalo. Ele reforça ainda o papel da população na desaceleração da doença. “A responsabilidade deve ser coletiva na adesão nas medidas de controle e prevenção, do distanciamento social para que possamos reduzir a aceleração da curva. A população complementa as ações colocadas em prática pelo poder público”, destaca o professor.
Todas as ações de enfrentamento à Covid são discutidas semanalmente, durante as reuniões do Comitê de Operações de Emergência em Saúde (COE), incluindo no rol das análises, a projeção da curva de contaminação e as novas ações e medidas necessárias a serem adotadas a cada novo cenário. Estudos como o da UFOB e de outras instituições servem de referência para que os integrantes do COE, possam buscar novas medidas e ações de combate à doença em Barreiras, conforme relata o secretário de saúde, Anderson Vian, que também preside o Comitê.
“Estamos atentos a estes números e estudos de instituições parceiras, eles mostram e nós entendemos que os casos vão surgir, então, o que buscamos é o controle da projeção dessa curva. Estamos estruturando ações para manter essa curva ainda mais baixa para que tenhamos capacidade instalada para atender as pessoas que necessitarem dos serviços da saúde. Mas também balizamos nosso trabalho em fatores como taxa de ocupação de leitos e perfil das pessoas que foram acometidas pela doença, tudo isso tendo como principal preocupação que é a preservação da vida de cada cidadão de nosso município. Destaco que é um trabalho coletivo e que é fundamental que a população faça a sua parte, evitando aglomerações, ficando em casa sempre que possível e usando máscara, ao sair. Finaliza o secretário Anderson Vian.

 

 

 

Fonte: Dircom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *