Junior Marabá toma posse após traição e afirma confiança no seu vice.

 


Prefeito: Junior Marabá

O prefeito Junior Marabá (DEM) tomou posse hoje após ser surpreendido pela traição do vereador Fernando Fernandes que foi eleito na sua base e dentro do seu partido, o Democratas.

Durante a cerimônia, a traição do vereador de primeira viagem foi lembrada em alguns discursos.

O mais incisivo foi a do vereador Silvano Santos, que disse que “não vou bater nas costas de vereador aqui e chamar de colega”, se referindo ao vereador traidor Fernando Fernandes.

Junior Marabá declarou seu total apoio ao seu vice, Filipe Fernandes, que diante da ação mesquinha de seu irmão, fez questão de não comparecer à posse. O prefeito Junior fez questão de afirmar sua confiança em Filipe, que amarga a traição do irmão, orquestrada pelo pai.
Nas redes sociais a repercussão da traição foi grande.

Pessoas que viram Zé Fernandes lutando ao lado do Marabá, ficaram indignadas com a facilidade com ele jogou o nome do filho na lama em troca de uma presidência da Câmara Municipal. O que se vê é um pai colocando seus interesses pessoais acima da honra do próprio filho.

O golpe orquestrado por Zé Fernandes, pai de Filipe e de Fernando, foi de uma covardia e falta de caráter sem igual.

A gana de fazer um garoto sem experiência presidente de uma Câmara Municipal, em detrimento da estabilidade do mandato de vice-prefeito de Filipe Fernandes, mais parece coisa de folhetim mexicano.

Zé Fernandes já tem histórico de não cumprir acordos políticos. Em 2012 ele traiu seu grupo, largou a sua candidatura de vereador e ‘pulou’ para a vice de Humberto Santa Cruz. Depois teve que desistir por causa do grande risco de queda da chapa em função dos prazos, ficando a vice com Marcos Alecrim. Parece que o Zé Fernandes não aprendeu a lição.

O vice-prefeito Filipe Fernandes ainda está sem acreditar no golpe recebido. Diante desse fato, o que ficou claro foi que o caráter do Filipe, difere, e muito, dos outros Fernandes da família.

 

Blog Cebolinha Notícias
Fonte:VEJA POLÍTICA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *