Oposição encolhe e Bruno Reis garante mais apoiadores que ACM Neto na Câmara

 

Oposição encolhe e Bruno Reis garante mais apoiadores que ACM Neto na Câmara

Foto: Valter Pontes/Secom

Forjado pelo ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), Bruno Reis vai ter mais apoiadores na Câmara de Vereadores que o seu mentor. A partir do dia 2 de fevereiro, quando se iniciam os trabalhos no Legislativo municipal, ele terá, ao menos, 32 parlamentares em sua base, um a mais que Neto tinha na sua gestão.

 

Com a atual configuração, o prefeito da capital baiana garante supremacia para as votações da Câmara, principalmente por conta da diminuição no quadro da oposição. Até 2020, eram 11 vereadores na base oposta a de Neto. Agora, são apenas oito parlamentares. São eles: Marta Rodrigues (PT), Tiago Ferreira (PT), Maria Marighella (PT), Suíca (PT), Sílvio Humberto (PSB), Laina Pretas por Salvador (PSOL), Hélio Ferreira (PCdoB) e Augusto Vasconcelos (PCdoB).

 

Fora da lista, estão Edvaldo Brito (PSD), Débora Santana (Avante) e Sidninho (Podemos). Brito faz parte do bloco independente da Casa e, portanto, não se coloca nem ao lado da oposição e nem da situação. Débora, por sua vez, indicou que não se colocaria em nenhum dos dois blocos. Contudo, após a eleição, ela visitou Bruno Reis, mas afirmou que era uma encontro de apresentação de projetos.

 

Entre os “fora da caixa”, a incógnita fica por conta de Sidninho. Ex-líder da oposição, ele rompeu com o grupo do governador Rui Costa (PT) após insatisfação durante o período eleitoral. Ele sentenciou sua retirada do campo oposicionista, mas afirmou que não sabe se vai se colocar ao lado de Bruno (leia mais aqui). Segundo o novo líder do Podemos na Câmara, Emerson Penalva, o colega segue conversando. “Ele ainda está conversando. Eu procuro não ficar buscando informação. O que ele tem acenado a mim é que está conversando”, afirmou, em entrevista ao Bahia Notícias. Sidninho não atendeu às ligações do BN para repercutir sobre o assunto.

 

Diante deste cenário, Bruno garante mais de dois terços do Legislativo soteropolitano e facilita sua vida para aprovar projetos enviados pelo Executivo à Câmara. Estes textos, geralmente, são enviados sob regime de urgência urgentíssima. Isto é, têm prioridade de votação na Casa e, caso não sejam apreciados, sobrestam a pauta (travam outras votações). Este tipo de PL precisa ser apresentado por um terço e aprovado por dois terços dos vereadores presentes no momento da votação. Neste caso, dois terços equivale a 29 parlamentares. Atualmente, Bruno possui, pelo menos 31, sem contar o presidente Geraldo Jr. (MDB), que, em regra, não participa das votações. 

 

Fonte: Bahia Notícias

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *